Translate

domingo, 6 de março de 2016

CURSO DE FILOSOFIA ESPÍRITA  LIVRO 2 – CAP 7 

  LEIS UNIVERSAIS DIVINAS OU NATURAIS  LEI DOS HOMENS

BIBLIOGRAFIA
O LIVRO DOS ESPÍRITOS – Allan Kardec – Edit FEB  – perguntas 614 a 890
O GRANDE ENIGMA – Leon Denis – Edit FEB

REFLEXÃO A EXISTÊNCIA DA LEI DESOBRIGA DEUS DE PUNIR?
A história do homem mostra que no inicio dos tempos o chefe do clã era o responsável pela harmonia do grupo. As regras eram estabelecidas e ele verificava se todos se comportavam dentro do preestabelecido. Procedia a um julgamento e punia aqueles que desobedeciam as normas. As sociedades humanas evoluíram em todos os aspectos chegando aos tempos atuais como nações. A vida em comum se faz também dentro de regras e normas elaboradas. O chefe do clã passou a ser um presidente cujas tarefas não tem mais a responsabilidade pelo julgamento e punição dos cidadãos desobedientes as regras. Deus, como o primeiro mandatário, ou como Creador da nação Universo é o que julga a creação? Há necessidade Dele fazer isso? Ou as próprias leis dentro de um processo já se incumbem de  reordenar e reharmonizar todo o sistema?

1ª PARTE: OBJETIVO DA AULA
Esta aula tem por objetivo trabalhar o conceito de lei, bem como sua classificação e seu entendimento. Trataremos de um conceito mais amplo que os tratados pelos dicionários. Estudaremos não só as leis determinísticas presentes no campo da matéria como as leis que atuam no campo metafísico. Com isto nossa visão de lei se amplia para além das fronteiras da Ciência Acadêmica e também no âmbito das que regem o bom andamento da sociedade, conhecidas por leis jurídicas.

2ª PARTE:  INTRODUÇÃO – ONDE ESTÃO GRAVADAS AS LEIS – O CAOS
As ciências naturais demonstram a existência e a ação de leis que governam os fenômenos. Graças a elas o homem pode prever com muita exatidão o que poderá acontecer e até calcular a intensidade dos fenômenos futuros. Essas leis ordenam e organizam a Natureza e o Universo. Devido a isso o acaso e o caos se tornam inconciliáveis com a ordem e a harmonia. O acaso é a falta de direção. Essas leis simplesmente existem e se manifestam. Como a ideia de lei é inseparável da ideia de inteligência, podemos inferir que elas são a revelação da Inteligência Suprema, do Creador. A ordem e a harmonia não se revelam somente no movimento dos astros ou dos objetos nas redondezas da Terra, mas também na evolução, no crescimento e desenvolvimento da vida e do conhecimento no ser humano.

 O ciclo da existência dos seres também expressa ordem e harmonia: nascer, crescer, reproduzir, madurar e morrer. Essas leis são naturais, universais, eternas e imutáveis. Já as leis humanas são efêmeras e mutáveis. Como a verdade do homem é uma verdade relativa que se transforma e se direciona para a Verdade Absoluta, o mesmo ocorre com as leis. As leis humanas caminham em direção as leis universais e divinas.

3ª PARTE:  CONCEITO E OBJETIVO DAS LEIS
Entendemos por lei toda ação impositiva, determinística que existe em si, independente da vontade do Homem. Independente da existência dele, ela existe. Portanto, as leis existem e existiram anteriormente ao aparecimento do homem na face da Terra. O dicionário conceitua lei como sendo “uma regra dotada de necessidade sendo esta, impossível ou improvável que a coisa aconteça de outra forma. Uma força que garante a realização da regra”.

Segundo ele existem dois tipos de leis:
- as leis naturais e as
- leis jurídicas.

O dicionário não objetiva a Metafísica que evidencia as leis chamadas divinas. Sob este aspecto as leis têm um caráter mais amplo que a enfocada pela Academia.

A Metafísica engloba as leis da matéria (leis que regem os fenômenos naturais) e as leis morais (leis que regem o comportamento humano).

Entendido fica que as leis morais aqui referidas são as regras do bem proceder, buscando a harmonia e o bem estar do ser Portanto, a lei, tanto a humana, jurídica, como a natural, tem por objetivo disciplinar a convivência humana e harmonizar a natureza e o cosmos.

4ª PARTE:  CLASSIFICAÇÃO DAS LEIS
Podemos classificar as leis conforme segue:
- Leis Naturais – são as leis que regem a Natureza terrena.
- Leis Universais – são as leis de caráter mais abrangentes que envolvem o cosmos como um
todo.
- Leis Humanas – são as leis criadas pelo homem, orais (transmitidas pelo hábito, costumes e tradição) e as escritas (as legislações dos países) que visam disciplinar a convivência humana.
- Leis Morais – são as leis do bem proceder que garantem o bem estar do homem.
- Leis Divinas – são as leis de caráter espiritual que garantem o estado de felicidade completa do homem.


5ª PARTE:  LEIS NATURAIS (FÍSICAS – QUÍMICAS – BIOLÓGICAS) E UNIVERSAIS
As Ciências Acadêmicas pesquisam as leis que relacionam os fenômenos perceptíveis ou não com suas causas. Procuram as condições que devem estar presentes para que o fenômeno ocorra. Buscam como a lei se manifesta. Procuram um modelo matemático que represente o fenômeno em questão. A repetibilidade dos fenômenos dentro das condições previamente determinadas seguindo o modelo matemático coloca o homem na condição de previsão da ocorrência futura. De certa forma uma manipulação do futuro tendo em vista a confiança na aplicação da lei natural envolvida.

As leis universais são aquelas que prevalecem em todo o universo, ou seja, apresentam um caráter mais amplo não envolvendo as especificidades terrenas. São exemplos de leis com modelos matemáticos:
1-) a lei da queda livre     h=gt2/2
2-) a Segunda lei de Newton      F = m.a
3-) a lei da gravitação universal      F = G ( m1 . m2 )/d2


6ª PARTE:  A LEI DA AÇÃO E REAÇÃO
Esta lei se faz presente no mundo da matéria e é conhecida como a 3ª lei de Newton:

 “A toda ação corresponde uma reação de igual intensidade, mesma direção e sentido oposto.“

 Na esfera psíquica ou no mundo espiritual esta lei também se encontra presente e seu enunciado pode ser descrito na seguinte forma:
1-) Somos hoje o que plantamos ontem e seremos amanhã o que plantarmos hoje.
2-) Tudo aquilo que se planta, se colhe.
3-) Todo ódio lançado será recebido de volta. No plano psíquico a lei é qualitativa e não quantitativa, como também é atemporal, ou seja, não sujeita ao tempo No mundo da matéria, entretanto tudo é objetivo, quantitativo e temporal. Apesar destas características típicas de cada mundo, vemos uma lei aplicável simultaneamente nos dois mundos, o material e o espiritual.


7ª PARTE:  LEIS HUMANAS – AS LEIS JURÍDICAS – AS CONSTITUIÇÕES
A vida em sociedade força os agrupamentos estabelecerem regras para o seu bom funcionamento. De início elas são pequenas regras de convivência mas a medida que o agrupamento cresce em numero faz com que as regras se expandam também tornando-as cada vez mais complexas. No inicio as leis eram orais, e formavam hábitos, costumes e tradições. A medida que o grupo crescia era preciso escrevê-las e para que se cumprissem necessitavam os fiscalizadores e os interpretadores dessas leis.

E assim a vida em sociedade foi se complicando, tornando cada vez mais complexas, e necessitando de dispositivos adequados a nova situação.

Como exemplo de leis humanas, podemos citar as de nossa Constituição:
1-) Todos os homens são livres e iguais perante a lei
2-) Todos os homens tem direito a instrução fundamental


8ª PARTE:  AS LEIS MORAIS
Assim como existem leis que regem o mundo da matéria existem também as leis que regem o mundo psíquico, o mundo comportamental.

São as leis morais. Elas garantem o bom proceder. Não são escritas, mas com forte cunho de harmonia. Estas leis, na atual sociedade são de ordem cultural e normalmente de difusão e ensino pelas instituições religiosas. Eis a fundamental importância das religiões no contexto social.


9ª PARTE:  AS LEIS DIVINAS
Denominamos leis divinas ou leis de Deus todas aquelas que os seres humanos procuram seguir para uma plena realização dos gozos futuros. Tem carácter metafísico, pois tratam de uma vida espiritual e pós-morte. Para muitos, principalmente os materialistas, elas são parte do imaginário humano.

Portanto, não existem.
L.E.“621 – Onde está escrita a lei de Deus? - Na consciência.”
L.E.“626 – As leis divinas e naturais não foram reveladas aos homens senão por Jesus? - Não dissemos que elas estão escritas por toda a parte? Todos os homens que meditaram sobre a sabedoria puderam compreendê-las e as ensinaram................As leis estando escritas no Livro da Natureza, o homem pôde conhecê-las quando quis procurá-las”.
L.E.“647 – Toda lei de Deus está contida na máxima de amor ao próximo ensinada por Jesus? - Certamente essa máxima encerra todos os deveres dos homens entre si, mas é preciso mostrar-lhes a sua aplicação, de outra forma eles podem negligenciá-la, como fazem hoje. Alias, a lei natural compreende todas as circunstancias da vida e essa máxima não é dela senão uma parte. Os homens necessitam de regras precisas, pois os preceitos gerais são muito vagos e deixam muitas portas abertas a interpretação.”

A divisão da lei divina em partes como consta no Livro dos Espíritos (lei da adoração, lei do trabalho, lei da reprodução, lei da conservação, lei da destruição, lei de sociedade, lei do progresso, lei da igualdade, lei de liberdade, lei de justiça amor e caridade) é a de Moisés e pode abranger todas as circunstancias da vida. Essa divisão, porém, não tem nada de absoluto, tendo mais caráter didático e outras podem ser as suas divisões.


10ª PARTE: CONTRARIANDO AS LEIS – PUNIÇÕES – PECADO
As Leis Jurídicas são coercitivas e nos obrigam seu seguimento sob pena de após um julgamento, ter imediata punição de caráter punitivo educativo. Elas visam disciplinar a vida em comunidade. Estas leis são objetivas, de origem humana, criadas por representantes da sociedade. Esses cidadãos podem, porém, defender interesses de grupos ou parcelas da sociedade. Sendo de origem humana, elas estão sujeitas a todas as mazelas ainda existentes dentro do homem como, egoísmo, vaidade, orgulho.

Enfim todas as imperfeições que caracterizam a sociedade no atual estágio de desenvolvimento. As leis naturais quando contrariadas podem resultar em acidentes de menor ou maior consequência ao agente. As leis divinas quando contrariadas podem não apresentar consequências imediatas. Estas consequências não estão vinculadas ao tempo, mas são implacáveis quanto a sua aplicação. São de caráter subjetivo e para muitos elas nem se quer serão punidas ou apresentam consequências a sua transgressão. Nós, espíritas, entretanto, entendemos que elas apresentam mais cedo ou mais tarde a regeneração da transgressão. No cotidiano, observamos claramente a atuação dessas leis. A regeneração se encontra dentro da lei da causa e efeito e tem caráter educativo ao agente e caráter regenerador a vítima da transgressão.
Pecado é o vocábulo que as religiões utilizam para os procedimentos que desobedecem à lei. A lei é geralmente entendida como sendo a lei mosaica, as leis bíblicas e os dogmas de fé das religiões. A punição do pecado, ou seja, da desobediência da lei tem formas extremas: a morte, o eterno fogo do Inferno e o afastamento da convivência divina.


11ª PARTE:  CONCLUSÃO
O entendimento do conceito de lei nos remete a uma melhor compreensão das verdades divinas e como elas atuam em nosso cotidiano natural e comportamental. Por um lado nos proporcionando um entendimento maior sobre os fatos trazendo maior tranquilidade nas soluções dos problemas cotidianos. O conhecimento dessas leis nos proporciona um esclarecimento maior na conexão entre os efeitos visíveis de um fenômeno ou acontecimento e a respectiva causa.
Alan Krambeck


15ª PARTE – MÁXIMA / LEITURAS E PREPARAÇÃO PARA PRÓXIMA AULA
Próxima aula: Livro 2 – Cap.8 – A CIÊNCIA – O MÉTODO CIENTÍFICO – A CIÊNCIA ESPÍRITA
Leitura:
CONVITE A FILOSOFIA – Marilena Chauí – Edit Atica. FILOSOFANDO – Introdução a Filosofia – M Lucia A Aranha – Edit Moderna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

imprimir pdf