Translate

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Filhos deficientes - LEI DA REPRODUÇÃO

A decepção passou a ser-te um ferrete em brasa, dilacerando sem cessar os teus sentimentos. 
Todos os planos ficaram desfeitos, quando esperavas entesourar felicidade e vitória. 
No suceder dos dias, desde os primeiros sinais. anelaste por um ser querido que chegaria aos teus braços com os louros e a predestinação da grandeza em relação ao futuro. 
O pequeno príncipe deveria trazer no corpo, na mente, na vida, as características da raça pura. grandioso no porte, lúcido na inteligência, triunfador nas realizações. 
O que agora contemplas não é o filho desejado, mas um feio espécime, mutilado, enfermo, frágil. 
Mal acreditas que se haja gerado por teu intermédio, que seja teu filho. 
Por pouco não o detestas. 
Mal te recobras do choque e da vergonha que experimentas quando os
amigos o vêem, quando sabem que é teu descendente.
Surda revolta assenhoreia-se da tua alma e, a pouco e pouco, a amargura ganha campo no teu coração.
Reconsidera, porém, quanto antes, atitudes e posicões mentais. 
Não podes arbitrar com segurança no jogo dos insondáveis sucessos da
reencarnação. 
Pára a reflexionar e submete-te à injunção redentora. 
 
A tua frustração decorre do orgulho ferido, do desamor que cultivas. 
Teu filho deficiente necessita de ti. Tu, porém, mais necessitas dele.
*
Quem agora te chega ao regaço com deficiência e limitação, recupera-se
no cárcere corporal das arbitrariedades que perpetrou.
Déspota ou rebelde, caiu nas ciladas que deixou pela senda, onde fez que outros sucumbissem. 
Mordomo da existência passada, abusou dos dons da vida com estroinice e perversidade, ferindo e terminando por ferir-se.
Não cometeu, todavia, tais desatinos a sós. 
Quando alguém cai, sempre existe outrem oculto ou ostensivo que o leva
ao tombo. 
O êxito como o insucesso sempre se faz de parceria. 
Muitos responsáveis intelectuais de realizações nobres como de crimes espetaculares permanecem não identificados. 
E são os autores reais, que se utilizam dos chamados ignorantes úteis para esses cometimentos.
O filho marcado que resulta do teu corpo é alma vitimada pela tua alma,
não duvides. 
Não é este o primeiro tentame que realizam juntos.
Saindo do fracasso transato, ambos recomeçam abençoada experiência,
cujo êxito podes promover desde já. 
Renteia com ele na limitação e aumenta-lhe, mediante o amor dinâmico,a capacidade atrofiada.

Sê-lhe o que lhe falta. 
Da convivência nascerá a interdependência recíproca. 
No labor com ele, ama-lo-ás. 
Infatigavelmente renova os quadros mentais e por enquanto desce ao
solo da realidade, fora das ilusões mentirosas, a fim de seres, também, feliz.
*
Honra-te com o filhinho dependente e mais aproxima-te dele, cada vez. 
A carne gera a carne, mas os atos pretéritos do espírito produzem a forma para a residência orgânica. 
As asas de anjo do apóstolo, como os pés de barro de quem amas, precedem à atual injunção fisiológica.
*
Se te repousa no berço de sonhos desfeitos um filhinho deformado, amputado, dementado, deficiente de qualquer natureza, esquece-lhe a
aparência e assiste-o com amor.
Não te chega ao trono dos sentimentos por acaso. Antigo companheiro
vencido, suplica ajuda ao desertor, só agora alcançado pela divina legislação.
Dá-lhe ternura, canta-lhe um poema de esperança, ajuda-o. 
O filho deficiente no teu lar significa a tua oportunidade de triunfo e a
ensancha que ele te roga para alcançar a felicidade.
Seria terrivelmente criminoso negar-lhe, por vaidade ferida, o amparo que
te pede, quando te concede a bênção do ensejo para a tua reparação em re-
lação a ele. 
Extraído do Livro Leis Morais da Vida - Joanna de Ângelis

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

imprimir pdf