Translate

sábado, 9 de março de 2013

Homossexualismo - Prisioneiro...


Você sabia que o correto é dizer homossexualidade?
O sufixo “ismo” da palavra homossexualismo denota doença. 


Sem colocar regras é bom lembrar que o homem que abusa de seu porte e sua masculinidade, cobiçando e utilizando do sexo feminino para satisfação egoísta de seus prazeres momentâneos e muitas vezes animalescos, ou da mulher que usa de seu corpo e se utiliza do assédio para ganhar proveito sobre o homem, ambos poderiam agora ter a oportunidade de resgatar dívidas que adquiriram no passado.
É dado ao homem a oportunidade de se redimir reencarnando num corpo feminino tendo seus desejos masculinos, assim como é dada a mulher à oportunidade de reencarnar num corpo masculino tendo ainda os seus desejos femininos.
Não é uma regra. O espírito não tem sexo.
Assim como tem aquele que viveu muitas vidas se utilizando um único modelo de corpo para suas provas, masculino ou feminino, e que, quando numa nova oportunidade o modelo for diferente, vai acabar trazendo as reminiscências do passado para a nova vida que florescerá na Terra. E que vai depender do grau de evolução dele o modo como vai interagir com isso. Assim como também é de responsabilidade dos pais a orientação e educação conforme as leis Divinas.
Nós devemos pensar como o espírito nestas condições acaba sendo um prisioneiro dentro de seu próprio corpo. Afinal é bonitinho ver a criança logo cedo falando de namorada na escolinha. Na adolescência comentar sobre as dúvidas na hora de uma paquera com o pai ou com a mãe. E o homossexual?
Qual será a reação dos pais quando o menininho, por exemplo, falar que está apaixonado pelo amiguinho da escola?
Pode não ser esteticamente bonito ver um casal de homens ou de mulheres ter um relacionamento afetivo ou num beijo em meio a um espaço público.
Mas não devemos pensar no ato.
Nossa cabeça é muito fértil.
Devemos lembrar que todos merecem ter o direito de igualdade e de respeito. Afinal, devemos amar o próximo como a si mesmo, não é mesmo?
Daí as pessoas ainda questionam porquê os gays vivem nos inferninhos, no centro velho de São Paulo, onde tudo parece mais fácil. Ainda os culpam pela propagação da AIDS. Mas poucos de nós sabem se apontar como culpados. Assim como há anos o negro foi marginalizado e há muito é ainda, atacado por um tiroteio de preconceitos, o homossexual também já foi muito e hoje ainda é.
Incrivelmente pais infelizes ainda falam que preferem um filho drogado, bandido a ter um filho gay. Toda sociedade tem muito daquela consciência “hitleriana”, de se afastar e atacar aqueles que são diferentes do grupo “principal”, quando esquecemos que todos somos irmãos em escalada de evolução, onde todos
compartilhamos dos mesmos erros e que ainda nos faltam muitos degraus para alcançarmos a maioridade. Temos que ser, sim, os primeiros agentes da mudança! E temos que começar desde já, varrendo nossa pró-
pria casa.

Extraído do texto "O Tabu Chamado homossexualismo" - Thiago Rosa - Revista Fala Meu - Ano 6, Núm.41

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

imprimir pdf