Translate

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Refregas da evolução - LEI DE SOCIEDADE

Apesar das rudes refregas da luta, não te deixes abater.
Sob o peso de indescritíveis aflições, não te guardes à sombra do
desalento,
Mesmo que os caminhos estejam refertos de dificuldades, não
estaciones desanimado na jornada empreendida.
Aprende com a natureza: a terra sacudida pelo desvario dos ventos
renova-se, cessada a tormenta; o solo encharcado retoma a verdura e o
arvoredo esfacelado cobre-se, novamente, de flores.
Em toda parte a vida se renova incessantemente, sob o látego das
aflições, convidando-te a imitar-lhe o exemplo.
Não permitas, assim, que o pessimismo, esse conselheiro soez, balbucie
aos teus ouvidos expressões de desencanto junto às tarefas elegidas.
Recorda Jesus, abandonado, traído, em extrema solidão, plantando
sozinho a espada luminosa do dever, desde então transformada em marco de
luz para a humanidade inteira.
*
Não te meças por aqueles que tombaram, deixando-te empolgar pelas
deficiências deles.
A terra não se sente desrespeitada com o cadáver que lhe macule o
solo. Recebe a dádiva da decomposição celular como bênção e transforma os
tecidos apodrecidos em energias novas que são preciosas a Outras vidas.
Se o companheiro ao teu lado cair, porque te desalentares? Encoraja-te
e reflete que, apesar do fracasso dele, necessitas chegar ao fim.
Não te intimides com o insucesso alheio. A correnteza não cessa o curso
porque a lama se encontra à frente: atravessa as camadas da dificuldade e
surge, novamente límpida, adiante para abraçar o mar que a aguarda ao longe.
Se o amigo não teve a felicidade de manter o padrão de equilíbrio que se
fazia necessário, na tarefa empreendida, conduze a mensagem que ele não
pode levar aos angustiados que te esperam, ansiosos, à frente.
Fita a face dos triunfadores e deixa-te estimular pelo exemplo deles.
O caminho do Calvário é a história de uma grande solidão e toda a Boa
Nova é um hino de fidelidade ao dever.
O Mestre nem sequer repreendeu Judas, ou censurou Pedro, ou doou
taça de fel a Tomé, em dúvida. Fez-se o atestado vivo e imortal do Pai,
transformando-se em caminho para todos os arrependidos que o desejem
seguir.
Na Boa Nova, a queda de cada discípulo é uma advertência para a
vigilância dos que vêm depois; a deserção do aprendiz representa um convite à perseverança dos novos candidatos à escola universal do amor.
Robustece o ânimo, amigo do Cristo, fita o sol generoso a repetir sem
cansaço a mensagem da alvorada diariamente, e segue fiel, de fronte erguida e coração içado ao bem, mantendo a tua comunhão com o Mestre nos deveres que te competem, certo de que não seguirás sozinho. 
Joanna de Ângelis
Livro Leis Morais da Vida cap 35

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

imprimir pdf