Translate

sábado, 16 de maio de 2015

Introdução à Filosofia Grega




1000
O Pensador, 1902.
O legado da Grécia à filosofia ocidental é a filosofia ocidental. (...) Na filosofia, os gregos foram os criadores de quase todos os campos importantes. Bernardo Williams, 1998.
-
INITs pensadores gregos influenciaram de tal forma a filosofia Ocidental que, ao nos referirmos a ela, estamos falando essencialmente da própria filosofia grega. Até a palavra "filosofia" é grega e vem de φίλος, "amigo", e σοφία, "sabedoria".

A filosofia começou quando soluções míticas para questões sobre a origem e a natureza do Universo foram conscientemente substituídas por explicações naturais, racionais, inteligíveis e existentes dentro dos limites do próprio Universo. Esse processo começou na Grécia, mais ou menos no fim do século -VII, e evoluiu durante cerca de 1.000 anos, até o início do século VI, mais ou menos. Esse longo caminho pode ser dividido em três grandes períodos, determinados em em relação ao ateniense Sócrates, um dos mais importantes filósofos de todos os tempos.

Embora a filosofia tenha nascido e se desenvolvido nas prósperas póleis localizadas fora do continente grego, o mais importante personagem da Filosofia grega foi indubitavelmente o ateniense Sócrates(-469/-399), contemporâneo do político de Péricles, do poeta trágico Eurípides e do médico Hipócrates de Cós.
Sua contribuição à Filosofia foi tão importante que é costume dividir historicamente os pensadores gregos em "pré-socráticos" e "pós-socráticos".
primeiro século do período pré-socrático caracterizou-se principalmente pela criatividade especulativa; no período seguinte, com o desenvolvimento de técnicas de argumentação e lógica, muitas das conclusões até então obtidas foram revistas e intensamente criticadas; e os últimos filósofos pré-socráticos, já contemporâneos de Socrátes,procuraram acomodar os escassos conhecimentos científicos da época à filosofia.
O primeiro período (-600/-400), chamado de pré-socráticocaracterizou-se pela reflexão sobre a estrutura do mundo natural,  e pelo desenvolvimento da argumentação filosófica.

No segundo período (-400/-100), dito socrático, a preocupação com o homem, o estabelecimento de normas de conduta pessoal e o desenvolvimento de elaborados sistemas de pensamento, ditos "escolas filosóficas", dominaram o cenário. A primeira parte desse período representa o apogeu da filosofia grega (Platão e Aristóteles) e corresponde às últimas décadas do século -V e ao século -IV. 

Na segunda parte, que começou no conturbado Período Helenístico! o homem deixou de ser o componente mais importante de uma comunidade restrita para se tornar um simples cidadão de vastos impérios. A perda da importância política individual fez muitos se dedicarem cada vez mais à busca da felicidade pessoal através da religião, da magia ou da Filosofia. As escolas fisolóficas procuravam estabelecer, basicamente, um conjunto de preceitos racionais para dirigir a vida de cada um e, através da ausência do sofrimento, chegar à felicidade e ao bem-estar.

O terceiro período (-100/529) transcorreu durante a dominação romana e foi marcado pela erudição e pelo sincretismo — tentativa de elaborar um sistema de pensamento unificado a partir das várias doutrinas filosóficas do passado.

A Filosofia grega ainda vive. Embora o pensamento grego tenha terminado oficialmente no início do século VI, sua influência impregnou o Cristianismo, atravessou a Antiguidade, a Idade Média, o Renascimento e chegou até nossos dias.

Notas

  1. A reflexão sobre a origem e a organização do universo é denominada Cosmologia (do gr. κόσμος, "ordem"). Os filósofos pré-socráticos, os mais antigos pensadores a lidar com esse tema, procuravam um princípio lógico e racional que explicasse como as coisas surgem e desaparecem ciclicamente enquanto a Natureza permanece a mesma, e acreditavam que esse "elemento" atuava tanto no mundo físico como nos seres humanos.
  2. Em filosofia, o termo "escola" se aplica a um determinado sistema de princípios filosóficos; seus membros ou seguidores adotam esses princípios ou maneiras de pensar / explicar o Universo. Como essas escolas são escolas de pensamento, nem sempre há um determinado edifício associado a elas. Exceções notáveis foram a Academia de Platão e o Liceu de Aristóteles .
  3. Extraído http://greciantiga.org/arquivo.asp?num=0716

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua mensagem. Será publicada após aprovação.

imprimir pdf